quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

O Brasil já foi socialista alguma vez?

Na última terça-feira, no dia da sua posse como presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), disse que "livrou o Brasil do socialismo". Em dezembro, seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro,disse que o Brasil "nunca mais será" socialista.

É natural que os apoiadores do atual presidente tenham desprezo por ideias socialistas, principalmente pelo fato do referido regime ter levado vários países à miséria, como Venezuela, o caso mais recente. No passado mais distante, países da Europa Oriental sofreram com o regime, sendo até mesmo a Alemanha dividida em duas, de modo que as pessoas do lado socialista não poderiam fugir para o lado capitalista, com uma construção de um famigerado muro chamado Muro de Berlim. Outros países, como China, Cuba e Coreia do Norte, ainda sofrem com o socialismo, sendo que enquanto os dois primeiros se abriram um pouco ao capitalismo, o terceiro ainda permanece fechado no regime comunista. O socialismo também dizimou muitas populações dos referidos países. Só no Camboja, o regime comunista matou mais de 2 milhões de pessoas.

Mas sobre o Brasil, é bom que se saiba que o País sempre foi organizado em economia capitalista, e isso nunca mudou. O Brasil, além do mais, é um país conservador e não aceitaria um socialismo em seu território com facilidade. Tanto é que partidos que pregam abertamente o regime socialista como pregado por Karl Marx, chegando até mesmo a falar em revolução do proletariado, não conseguem nem passar dos 2% dos votos nas eleições presidenciais (partidos como PCB e PSTU, por exemplo).

Nas eleições onde a disputa ideológica foi mais forte que as propostas, venceu sempre a direita. Em 1960, Jânio Quadros, apoiado pela direita, venceu. Em 1989, Fernando Collor, que também dizia que a bandeira era "verde e amarela, e nunca seria vermelha, da desordem e da bagunça", venceu Lula. E agora em 2018, Jair Bolsonaro, com o mesmo apelo, conseguiu impor a primeira derrota ao PT desde 2002.

O próprio PT, embora seja um partido de esquerda, precisou "se abrir mais ao mercado" para conseguir chegar ao poder. Em 2002, fez uma aliança até então impensada com o PL (hoje PR), tendo o Lula escolhido para vice o empresário José Alencar. Em 2010, o PT aliou-se com o PMDB, e Dilma Rousseff teve como vice Michel Temer. Durante seu governo, Lula e depois Dilma Rousseff adotaram medidas neoliberais e privatistas, como havia feito o antecessor Fernando Henrique Cardoso, do PSDB. Nesse período, o PSTU, por exemplo, fez uma oposição raivosa ao PT, acusando-o de seguir as mesmas políticas tucanas de submissão a banqueiros.

Quem estudou socialismo sabe que uma das principais características do socialismo é a inexistência de propriedade privada, além de geralmente, faltar uma democracia onde se permita eleição de diversos partidos. No socialismo, sempre imperou tais coisas, como a propriedade ser coletiva (até casas próprias eram do Governo), sendo que as pessoas só poderiam possuir bens de uso pessoal (roupas, por exemplo). Outra característica dos regimes socialistas foi a ditadura do Partido único, o Partido Comunista.

No Brasil, pelo contrário, não foi assim que aconteceu, em momento algum de nossa história. O PT passou 13 anos no poder, mas enfrentou quatro eleições para isso, tendo o PSDB como principal rival. Os partidos funcionaram livremente, até partidos de direita, como DEM (antigo PFL), mesmo Lula tendo dito que o referido partido "tinha que ser extirpado da política brasileira".
O ex-operário Lula chegou ao poder tendo como vice um empresário, José Alencar.

Na economia, o Brasil nunca deixou de ser capitalista. Predominaram os meios de produção particulares, apesar de realmente o PT ter aparelhado o Estado. Mesmo assim, empresas continuaram existindo normalmente, nas mãos de seus donos, que não tiveram suas propriedades confiscadas, outra coisa comum em governos socialistas.

O fato de um país ser governado por um socialista não significa que o mesmo seja socialista. Pois se assim fosse, até os Estados Unidos já teriam sido socialistas, uma vez que Barack Obama, para muitos, possui ideias de esquerda. A França também já seria socialista, tendo sido governada por François Miterrand e hoje por Emmanuel Macron. Portugal também seria socialista, pois foi governado por Mário Soares. Mas tais países não abandonaram a estrutura capitalista.

O Brasil, durante a história republicana, teve, sim, regimes totalitários, mas nenhum de esquerda. Entre 1937 e 1945, Getúlio Vargas - que tinha forte inclinação para o fascismo de Mussolini, além de ser nacionalista -, dominou o País com mão de ferro com o "Estado Novo". Já entre 1964 e 1985, os militares anticomunistas tomaram o poder e governaram o Brasil por 21 anos.

Outra característica do socialismo é a perseguição religiosa, uma vez que Karl Marx disse que "a religião é o ópio do povo". Mas no Brasil, o único momento em que algumas religiões sofreram restrições foi no Império, ainda assim apenas por que não poderiam se candidatar a cargos públicos e nem votar, uma vez que esse privilégio só era dado aos católicos. Desde 1889 até os dias, sempre predominou a completa liberdade religiosa, mesmo nos períodos ditatoriais.

O Brasil foi, sim, governado pela "esquerda". Mas jamais em momento algum adotou estrutura econômica socialista. Nem tem a mínima chance de adotar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário