sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

Ainda existe mesmo direita e esquerda?

Ao olharmos para a atual articulação para a eleição da Presidência da Câmara, uma pergunta é inevitável fazer: existe ainda direita x esquerda?

O motivo da pergunta é que o candidato favorito, Rodrigo Maia (DEM), está com apoio tanto do PSL do presidente Jair Bolsonaro (direita), como do comunista PC do B (esquerda). Ao vermos tal situação, aí vemos como estava certo Enéas Carneiro quando disse que os conceitos de "direita e esquerda eram obsoletos".

Vamos primeiro conferir a origem das expressões direita e esquerda: na Revolução Francesa, na Assembleia Nacional, os deputados de diferentes correntes se sentavam em lados diferentes na Convenção. Os que tinham ideias mais conservadoras se sentavam à direita, enquanto os que possuíam ideias revolucionárias e progressistas se sentavam à esquerda.

O conceito se acentuou ainda mais no período da Guerra Fria, entre Estados Unidos e União Soviética. Mas o capitalismo triunfou sobre o socialismo (esquerda), o que realmente tornou obsoleto tais conceitos.

Após o fim da URSS, a esquerda brasileira precisou se reinventar. E agora, é comum, vermos esquerda e direita juntos quando se trata dos seus próprios interesses. Quantos que hoje estão com Bolsonaro que faziam parte e tinham até cargos nos governos Lula e Dilma, e ainda passaram pelo governo de Temer?

É verdade que existem políticos de pensamentos diferentes, uns mais conservadores, outros mais progressistas. Mas está realmente ultrapassado o conceito "direita e esquerda". O que existe hoje no Brasil são dois partidos: "os que comem" e "os que querem comer". Ponto final.

Nenhum comentário:

Postar um comentário