quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

Mau serviço de empresas de ônibus levanta debate sobre regime de concessão

Em Limoeiro, as empresas de ônibus que operam por aqui são a Borborema e a 1002. Enquanto a Borborema transporta passageiros aos municípios da parte sul e oeste, a 1002 transporta para os municípios da parte norte e leste.

Essa semana, uma modificação que desagradou os usuários da Borborema que usam a linha para Caruaru levantou mais uma vez um debate sobre o regime de concessão; Nesse regime, não impera a livre a concorrência, onde nesse caso, duas ou mais empresas de ônibus serviriam ao mesmo local, beneficiando mais passageiros.

Sobre as linhas para Caruaru - Via Cumaru, a Borborema já retirou a circulação da mesma aos domingos e feriados, e diminuiu o horário nas terças quartas e quintas. Enquanto nas segundas, sextas e sábados, a linha sai de 6h e 12h15 (Limoeiro), e 9h15 e 16h15 (Caruaru), nas terças, quartas e quintas, sai de 6h (Limoeiro) e 12h30 (Caruaru). Essa mudança desagradou a muitos usuários, como já apresentamos aqui (Confira a matéria http://bloglimoeironews.blogspot.com/2018/12/borborema-muda-horario-da-linha.html)

Infelizmente, num regime de concessão, se outra empresa de ônibus (por exemplo, a 1002), se interessar por essa rota, ela não poderá entrar. O mesmo acontece com a própria 1002, que há algum tempo, não tem linha para João Alfredo, o que fazem as pessoas depender apenas de transporte alternativo para irem à "Cidade Feliz". O regime de concessão impede também que outra empresa de ônibus se interesse a ir para lá.

Sem concorrência, as empresas fazem o que querem, faltam com respeito aos seus usuários. Por isso, muitos defendem que o tal "regime de concessão" seja revisto, e substituído pela livre concorrência. Mas enquanto isso não ocorre, é importante que os usuários cobrem que as referidas empresas melhorem seus serviços, pois mesmo operando em concessão, elas precisam de lucros, e não podem fazer "o que der na teia"...

Bom salientar, claro, que aqui a crítica não vai a nenhum dos profissionais motoristas e cobradores, que fazem o melhor que podem em seus trabalhos. Mas sim às empresas que parecem não colocar o cliente usuário em primeiro lugar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário