segunda-feira, 13 de agosto de 2018

PSB perdeu o rumo desde a morte de Eduardo Campos

Nessa mesma data, falecia em acidente aéreo em Santos (SP), na baixada santista, o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB). Nessa data, para muitos também morria o PSB. Isso por que o partido, órfão de seu maior líder após Miguel Arraes (que também no dia de hoje se relembra sua morte, há treze anos), vem cometendo algumas trapalhadas, como em Minas Gerais, onde retirou candidatura para apoiar o PT, e em Pernambuco, onde o partido conseguiu atrair o PT para si (uma troca).

Eduardo sempre foi respeitado - mesmo pelos adversários - por seu pulso firme e sua capacidade de articulação. Eleito governador em 2006 - após iniciar em terceiro lugar nas pesquisas -, derrotou Mendonça Filho naquela ocasião, sendo reeleito em 2010 com uma "goleada histórica" sobre Jarbas Vasconcelos.

Curiosamente, Eduardo conseguiria atrair para o seu palanque justamente seus dois adversários, tanto que em 2014, Jarbas e Mendonça foram candidatos a deputado federal, e vitoriosos pelo palanque de Paulo Câmara (PSB), pupilo político de Eduardo. Ainda em 2012, Eduardo conseguiu aliança com Jarbas, e ainda começou a atrair para o PSB pessoas que historicamente foram adversárias de Arraes, a exemplo do ex-governador Joaquim Francisco.

Eduardo conseguiu o respeito e a admiração, a ponto de ser candidato a presidente. Mas o acidente aéreo interrompeu seus planos, e deixou o partido que tanto ajudou a fazer crescer sem rumo. O PSB, que em 2014 tinha candidatura própria e batia de frente com o PT, além de quebrar a polarização PT-PSDB, hoje, após a mal-sucedida tentativa de candidatura de Joaquim Barbosa, está neutro nas eleições presidenciais desse ano...

Nenhum comentário:

Postar um comentário