sexta-feira, 6 de julho de 2018

Não deu: a carrasca da vez foi a Bélgica

Jogadores desolados após derrota para a Bélgica. Foto Superesportes 
Mais uma vez, o Brasil está fora da Copa do Mundo. A Bélgica venceu o Brasil por 2x1 e despachou a seleção pentacampeã mundial do torneio. Mais uma vez, a Seleção comete os mesmos erros que vêm se repetindo desde 2006. E nessa Copa, junta-se mais um erro: a Seleção andou decidindo os jogos apenas no segundo tempo. Funcionou contra Suíça. Funcionou contra Costa Rica. Funcionou contra Sérvia. Funcionou contra o México. Mas contra a Bélgica, não funcionou. Isso por que a Bélgica já havia marcado 2x0. O Brasil fez um gol no segundo tempo, tentou colocar temperatura no jogo. Mas não deu. Brasil volta pra casa mais uma vez nas quartas-de-final, como aconteceu em 2006 e 2010. E a eterna dependência de Neymar? Outro grande problema nosso. Dependência de só um jogador acabou também vitimando outras seleções, como Portugal e Argentina.

Agora, é juntar os cacos e consertar os erros. O Brasil terá pela frente agora os preparativos para a Copa 2022, no Qatar, quando vai tentar novamente ser hexa. O jejum brasileiro já vai somar 20 anos daqui a quatro anos, sendo que a última copa conquistada foi em 2002. Em 2006, na Alemanha, o Brasil caiu nas quartas-de-final diante da França (que seria nossa próxima adversária se tivéssemos passado). Em 2010, na África do Sul, o Brasil caiu nas quartas-de-final diante da Holanda. Em 2014, o Brasil chegou ás semifinais contra a Alemanha, mas protagonizou o maior vexame da sua história ao perder por 7x1 no Estádio Mineirão, em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais.

Agora, cai diante da Bélgica, e sai mais cedo da Rússia. Mas os cartolas da CBF será que vão insistir no erro que repetem há quatro copas? Em 2022 saberemos.

PUBLICIDADE


Nenhum comentário:

Postar um comentário