terça-feira, 22 de maio de 2018

Marília seriamente ameaçada de ter seu tapete puxado (pela segunda vez)

Não sou petista e nem pretendo (voltar a) ser, mas não dá para assistir calado a uma das maiores injustiças que o partido está cometendo contra sua pré-candidata a governadora, Marília Arraes. Infelizmente, caciques estaduais do partido trabalham a favor de uma aliança com o governador Paulo Câmara, o que deixaria Marília em maus lençóis, já que ela combate fortemente o governo estadual.

Marília, neta de Miguel Arraes e prima de Eduardo Campos, foi do PSB, mas se desfiliou da legenda socialista. Rompeu com eles ainda nas eleições de 2014, quando apoiou o senador Armando Monteiro Neto na disputa estadual. Posteriormente, Marília viria se filiar ao PT, partido que fazia oposição do governo do PSB.

Mas o que temos visto nos últimos dias é uma tentativa desesperada do senador Humberto Costa, visando apenas sua sobrevivência política, de unir o partido com o projeto de Paulo Câmara, mesmo após os embates sérios entre o PT e o PSB. Humberto não se importa nem mesmo em subir em um mesmo palanque onde está seu adversário Jarbas Vasconcelos (MDB), antipetista e que disputou as eleições para governo do Estado em 2002 vencendo o próprio Humberto.

Marília era uma opção para quem não confia em Armando Monteiro e por outro lado, também não quer votar em Paulo Câmara; Mas aos poucos, as articulações de Humberto vão puxando o tapete de Marília, ou seja, o PT faz agora com Marília o mesmo que o PSB fez com ela em 2014. Não obstante, Marília cresce nas intenções de voto e tem forças até mesmo para um provável segundo turno.

As reações não tardaram a aparecer: Humberto foi vaiado em um evento de petistas que apoiam a candidatura de Marília, no último domingo (20).

Parafraseando o saudoso Adilson Couto, narrador da Rádio Jornal Recife: "Que veeeergonha, Humberto, que vergonha"....




PUBLICIDADE


Nenhum comentário:

Postar um comentário