segunda-feira, 14 de maio de 2018

Aldo Rebelo disputará Presidência pelo Solidariedade

Quem conhece a vida política do alagoano Aldo Rebelo se surpreendeu com a filiação do mesmo ao partido Solidariedade. Isso por que o político construiu sua carreira no PCdoB, partido que sempre foi fiel aos governos do PT. O Solidariedade, por sua vez, desde sua fundação, tem atuado na oposição aos governos petistas e foi um dos apoiadores do governo Temer após o impeachment de Dilma.

Aldo Rebelo, natural da cidade de Viçosa (AL), onde nasceu em 23 de fevereiro de 1956, é jornalista e político brasileiro. Foi vereador em São Paulo entre 1989 e 1991, já pelo PCdoB, partido onde atuaria a maior parte de sua vida pública. Em seguida, foi deputado federal de São Paulo por seis mandatos.

Aldo ingressou no PCdoB ainda em 1977, quando o partido estava na clandestinidade, em pleno regime militar. Antes que o partido pudesse recuperar a legalidade em 1988, Aldo teve uma breve passagem pelo PMDB, quando foi candidato - sem sucesso - a deputado federal.

Aldo foi Ministro das Relações Institucionais durante o governo Lula, em 2004 e 2005. Em seguida, foi presidente da Câmara dos Deputados, entre 2005 e 2007. Durante o governo de Dilma Rousseff, Aldo ocupou três ministérios: o Ministério dos Esportes, durante o primeiro mandato da petista. No segundo mandato dela, ocuparia o Ministério da Ciência e Tecnologia, durante o ano de 2015, e por fim, o Ministério da Defesa, onde ficaria até a deposição da petista, em 2016.

Em 2008, também foi candidato a vice de Marta Suplicy, que disputou na época a Prefeitura de São Paulo, sendo essa chapa derrotada por Gilberto Kassab. Foi também relator do Código Florestal Brasileiro.

Em 2017, filia-se ao PSB, mas deixa o partido no ano seguinte por discordar da indicação de Joaquim Barbosa para ser pré-candidato à Presidência da República. Em 2018, filia-se ao partido Solidariedade, que abre as portas de Aldo para a candidatura ao Planalto.






PUBLICIDADE




Nenhum comentário:

Postar um comentário