quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Um atentado á Democracia

Foto do Google
Um grupo de cerca de 50 pessoas invadiu o plenário da Câmara dos Deputados em Brasília. Gritavam palavras de ordem, gritavam o nome do juiz Sérgio Moro, pediam a volta da ditadura militar e um tribunal militar para julgar os corruptos.

Quando se chega a uma situação como essa, é algo preocupante. Pessoas assim que pedem a volta de um regime de exceção, onde tortura, exílio, assassinatos e perseguições eram regra, provavelmente não têm ideia do perigo que elas mesmas estão correndo. Hoje, na democracia, elas têm todo direito de cometer tal absurdo. Numa ditadura, elas teriam que pensar duas vezes antes de soltar qualquer palavra.

Todo regime é falho, mas a Democracia, sem dúvida, é o mais aceitável. A atual situação caótica do Brasil, a crise política que culminou com o afastamento da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e a ascensão do vice, Michel Temer (PMDB), ao posto máximo da República, não devem jamais servir de escada para que se peça algo absurdo como esse. Coisa semelhante ocorreu na Alemanha, entre os anos de 1919 e 1933, onde a crise econômica daquele país possibilitou a ascensão de Adolf Hitler à chefia da Alemanha. O final da história todos nós já conhecemos qual foi.

Esses manifestantes, preferimos apenas orar por eles. Que Deus coloque amor no coração deles, pois o que pedem é algo totalmente desprovido dessa palavra. E ainda me faz acreditar que infelizmente, o grande e maravilhoso trabalho dos professores de História, parece que infelizmente foram em vão. A punição deles deveria ser essa: assistir as aulas de História.

Nenhum comentário:

Postar um comentário