sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Milhares de pessoas prestigiam o primeiro dia da Bienal















Milhares de crianças, adolescentes, professores e visitantes prestigiaram o primeiro dia da Bienal do Livro da cidade de Limoeiro. Era possível ver nos olhos deles a alegria e o fascínio que o livro lhes trazia. No período da manhã aconteceram diversas palestras, como a Estrutura do Hai Kai e oficinas, a exemplo da ministrada pelo escritor consagrado Raimundo Carreiro.

Para a criançada, a Bienal foi cheia de surpresas, além de oferecer a hora do conto na Praça da Bandeira, a sede do Colombo Sport Club era possível encontrar a Vila da Criança. Nesse espaço, os pequeninos participavam de diversas brincadeiras, leituras coletivas e contadores de histórias. Mas, a Bienal não apenas agradou aos pequenos, ela também deu foco no público adolescente. Eles puderam ficar antenados através do Espaço Jovem, que oportunizou exposições, palestras e oficinas com escritores de Limoeiro e região.

No período da tarde, a programação continuou, agora tendo lançamentos de livros dos escritores limoeirenses. O escritor e poeta Sivaldo Venerando lançou o livro Deserto Ardente e Arte - Política e outras Drogas, quem também fez seu lançamento foi a professora e escritora Maria José (Zui) trazendo suas obras Era Uma Vez Uma Peixinha e Daluz Costurando as Linhas do Tempo.

À noite a programação ficou voltada para o Centro Cultural, localizado ao lado da Praça da Bandeira. Houve a exibição do documentário sobre Nelson Barbalho. O caruaruense que foi jornalista, historiador, pesquisador, lexicógrafo, compositor musical (parceiro em diversas músicas com Luís Gonzaga - o Rei do Baião), além de um exímio escritor pernambucano. 

O ponto alto da noite foi o painel reunindo o próprio homenageado, Marcos Vilaça; o jurista e também escritor, José Paulo Cavalcanti Filho, e o mais novo integrante da Academia Pernambucana de Letras, José Nivaldo. Na divisão dos temas, José Paulo e José Nivaldo falaram sobre a obra e trajetória de Marcos Vilaça; enquanto o filho Marcos Vinicius Vilaça apresentou um pouco da biografia do seu pai Antônio Vilaça, também um dos homenageados, responsável por preservar, em seus textos, parte da memória da cidade de Limoeiro.

E para fechar o primeiro dia da Bienal do Livro, houve o lançamento da coletânea Relembrando o Mestre, com textos de estudantes das diversas escolas da cidade de Limoeiro sobre o professor Antônio Vilaça. Os alunos foram incentivados a pesquisar e escrever sobre o homenageado e tiveram sua noite de autógrafos.

Departamento de Imprensa da Prefeitura de Limoeiro

Fotos: Erivaldo Carvalho e Valdir Gomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário